Juros do rotativo regular do cartão de crédito continuam em queda

29/06/2017 12:37

Os juros do rotativo do cartão de crédito cobrados dos clientes regulares – que pagaram ao menos o valor mínimo da fatura – tiveram nova queda, passando de 297,7% ao ano em abril para 247,5% ao ano em maio –redução de 50,2 pontos percentuais (p.p). A diminuição é reflexo das novas regras para utilização do crédito rotativo, que entraram em vigor no começo de abril. Entre março e maio, a redução dos juros para esse segmento já soma 183,6 p.p, como mostram dados divulgados pelo Banco Central nesta quarta-feira (28), na Nota para Imprensa sobre Política Monetária e Operações de Crédito. Os juros do rotativo como um todo também caíram de 428,1% em abril para 363,3% este mês.

 

A queda no rotativo foi um dos fatores responsáveis pela diminuição dos juros totais cobrados no Sistema Financeiro Nacional (SFN), indicador que ficou em 29,2% ao ano em maio – valor 1 ponto percentual inferior ao verificado em abril. Chefe-adjunto no Departamento Econômico (Depec) do BC, Fernando Rocha destacou que a redução dos juros foi mais acentuada no segmento de crédito livre, passando de 49,3% ao ano em abril para 46,8% ao ano no mês passado. Já as taxas do segmento de crédito direcionado registraram alta mensal de 0,4 p.p – passando de 9,8% ao ano em abril para 10,2% ao ano em maio.

 

“Acreditamos que esse movimento de queda nas taxas de juros deve se manter nos próximos meses. A redução da taxa básica da economia, a Selic, puxa as demais taxas de juros para baixo. Esse é o desenrolar esperado da política monetária”, afirmou Fernando Rocha.

 

Outro índice que apresentou queda, pelo terceiro mês consecutivo, foi o Indicador de Custo de Crédito (ICC), que caiu 0,5 ponto percentual em maio, atingindo 22,3%. O ICC apura o custo médio de todas as operações de crédito ativas no SFN, e os dados divulgados nesta quarta mostram que a redução ocorre com mais intensidade no segmento de crédito livre – que registrou queda de 0,9 ponto percentual, atingindo 37,5%.

 

“Esse movimento do ICC também era esperado, porque se alinha com o ciclo monetário. Essa tendência decrescente confirmou-se em maio e deve se manter ao longo do ano”, afirmou Rocha.

 

Crédito mais barato

Com a limitação do prazo máximo de 30 dias para utilização do crédito rotativo, os clientes estão migrando para formas de financiamento com juros mais baixos. Enquanto o volume de crédito concedido para pessoas físicas via rotativo aumentou 8,6% em maio, o volume de concessões para cartão de crédito parcelado subiu 81% no mês – a taxa de juros para esse segmento é de 160% ao ano, menos da metade dos 363,3% ao ano cobrados no rotativo. 

 

“As taxas de juros como um todo estão caindo no país. Os valores ainda são altos, mas eles estão caindo, e a projeção é que essa queda se mantenha. A orientação para todos que utilizam serviços financeiros é de procurar opções de financiamento mais adequadas ao seu orçamento. E essa não é uma orientação apenas do BC, mas de todos os especialistas em educação financeira”, ressaltou o chefe-adjunto no Depec.

 

O saldo total para o crédito rotativo ficou em R$36,08 bilhões em maio, o que representa uma queda mensal de 6,6%. Já o saldo total do crédito parcelado concedido via cartão foi de R$14,6 bilhões, alta de 18,6% no mês.

Pesquisar no site

Contato

FF Consult ® Phone #5511# 4025.3878.
Mobile #5511# 98235.0118
Mobile #5511# 98354.3392