Valuation, M&A e IPO

Valuation, M&A e IPO são assuntos interligados. Podemos destacar situações onde a avaliação (valuation) deve ser utilizada:

  • Comprar ou vender uma EMPRESA ou uma marca.  Não importa o tamanho, pode ser desde uma padaria até uma divisão da Nasa.  O objetivo é calcular o Preço Justo.
  • Construir uma fábrica, montar uma empresa comercial ou um negócio de serviços.  Neste caso o empreendimento ainda não existe, e é chamado de PROJETO.  O objetivo é calcular o valor justo do projeto, comparando-o com os investimentos necessários para erguê-lo.  Se o valor justo é maior, estaremos criando valor, o que demonstra que é viável economicamente.
  • Implantar a MODIFICAÇÃO de uma empresa, de uma fábrica, ou de um negócio, e ver se aumentou de valor. Exemplos são as fusões, aquisições, entradas a novos projetos, lançamentos de novos produtos, entradas em novos mercados, aquisição de novas tecnologias, mudanças na estrutura do capital, justificação de empréstimos, terceirizações, ampliação de fábricas, mudança de preços, desempenho de executivos, reengenharia, desempenho de áreas, e troca e aquisição de novos equipamentos entre outros.  O objetivo é calcular o novo valor da empresa modificada, e ver se esse superou o valor da soma da empresa antes da modificação mais o novo investimento, confirmando assim a sua viabilidade econômica.
  • De forma justa poder comprar uma empresa que nos interessa ou vender a nossa por receber uma oferta hostil.
  • Querer construir uma fábrica confirmando sua viabilidade econômica.
  • Confirmar a viabilidade econômica de nossas decisões quando queremos modificar uma empresa, como nos casos de fusões, aquisições, entradas a novos projetos, lançamentos de novos produtos, entradas em novos mercados, aquisição de novas tecnologias, mudanças na estrutura do capital, justificação de empréstimos, terceirizações, ampliação de fábricas, desempenho de executivos, reengenharia, desempenho de áreas da empresa, e troca e aquisição de novos equipamentos entre outros.
  • Saber o valor de uma Marca.
  • Entrada de um novo sócio por motivos estratégicos ou por necessidade de Capital de Giro.
  • Saída de um sócio por interesses pessoais.
  • Reduzir os riscos de crise mundial ou regional.  Ao avaliar corretamente, os preços não estariam inflados.
  • Proteger aos investidores.  Os investimentos seriam comprados pelo valor justo.
  • Reduzir a especulação.  Saber o valor justo evita altas volatilidades.
  • É um pilar para a Governança Corporativa na transparências das empresas de capital aberto e para o IPO das empresas de capital fechado..
  • É vital para fusões e aquisições ( M&A ), utilizamos as métricas avançadas de análise e projeção de fluxo de caixa baseados em valor para calcularmos o VALOR JUSTO, em termos presentes, considerando PVGO, reinvestimento (tx=G%/ROIC%)*NOPAT debitado sobre o FCFF perpétuo, CAPEX, OPEX, EVA, depreciação eocnômica, FCFE, MVA, TSR, TBR, CFROI, CFROG e afins.

BUSINESS PLAN

A FF Consult aumenta a possibilidade de uma empresa aproveitar potencialidades e oportunidades atuais e futuras, ao mesmo tempo que permite reduzir a probabilidade de restrições e ameaças, podendo, a partir delas, prever boa parte dos riscos e situações operacionais adversas, elaborando seu PLANO DE NEGÓCIOS. Lembramos que já o fazemos com uma formatação e estruturação compatíveis com a demanda nacional e internacional das instituições, juntamente com uma PLANO DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS.

Um plano de negócios deve possuir todo um conjunto de características específicas de forma a ser suficientemente flexível para se ajustar à evolução do meio envolvente, por isso, desenvolvemos uma metodologia de implantação e de planejamento que define o ponto de partida e os objectivos da empresa e traça o percurso que ela deve seguir. Na sua essência, trata-se de um documento fulcral para ajudar empresários ou gestores executivos e as organizações a conduzirem os seus negócios.

Planejar é essencial para o sucesso de qualquer tarefa. Planejar significa formular metas, objetivos e estabelecer orientações para o futuro de uma empresa ou oportunidade de negócio. Deste modo, há um determinado número de fatores críticos que deverão ser levados em consideração para um processo de planejamento com sucesso: Metas - Estabelecer metas realistas a atingir. Esta deverão ser específicas, mensuráveis e estabelecidas com limites temporais. Compromisso - A tarefa a empreender deverá ser assumida por todos os envolvidos. Prazos - Deverão ser estabelecidas datas-chave, subdividindo a meta final e permitindo uma monitorização contínua e uma medição da evolução no tempo. Contingências - Eventuais obstáculos deverão ser antecipados e estratégias alternativas deverão ser formuladas.

Pode-se resumir os objetivos de um plano de negócios nos seguintes itens:

  • Testar a viabilidade de um conceito de negócio.

  • Orientar o desenvolvimento das operações e estratégia.

  • Atrair recursos financeiros.

  • Transmitir credibilidade.

  • Desenvolver a equipe de gestão.

Benefícios

• O plano de negócio orienta o empreendedor a iniciar sua atividade econômica ou expandir o seu negócio.

• Permite estruturar as principais visões e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido e minimiza os riscos já identificados.

• Contribui para o estabelecimento de uma vantagem competitiva, que pode representar a sobrevivência da empresa.

• Serve como instrumento de solicitação de empréstimos e financiamentos junto a instituições financeiras, novos sócios e investidores.

• Definir claramente o conceito do negócio, seus principais diferenciais e objetivos financeiros e estratégicos

• Mapear de maneira detalhada O QUE será feito, POR QUEM será feito e COMO será feito, para que os objetivos do negócio sejam atingidos;

• Relacionar os produtos que serão oferecidos ao mercado;

• Definir A QUEM vai ser oferecido e QUEM vai competir com o novo negócio;

• Posicionar COMO o cliente vai ser localizado e atendido;

• Mapear QUANTO será necessário investir no novo negócio, e QUANDO será o retorno financeiro previsto;

• Descrever QUANDO poderão ser realizadas as atividades e como serão atingidas as metas;

• Identificar os riscos e minimizá-los, e até mesmo evitá-los através de um planejamento adequado;

• Identificar os pontos fortes e fracos da organização e compara-los com a concorrência e o ambiente de negócios em se que atua;

• Conhecer o mercado de atuação e definir estratégias de marketing para seus produtos e serviços;

• Analisar o desempenho financeiro de seu negócio, avaliando os investimentos, retorno sobre o capital investido.

 => Estrutura de um plano de negócios

  • Capa e sumário

  • Sumário executivo

  • Planeamento estratégico do negócio

  • Descrição da empresa/empreendimento

  • Produtos e serviços

  • Análise de mercado

  • Plano de marketing

  • Plano financeiro

  • Anexos 

Pesquisar no site

Contato

FF Consult ® Phone #5511# 4025.3878.
Mobile #5511# 98235.0118
Mobile #5511# 98354.3392

Estudos de Viabilidade Econômico-Financeiros

A FF Consult realiza estudos de viabilidade:
 
Viabilidade técnica
Na viabilidade técnica observa-se se o projeto atende aos requisitos técnicos, tais como:
• existência de conhecimento e tecnologia necessários para a realização do projeto.
• adequação às leis e normas, tanto do estado e país onde o projeto será realizado, como às normas internas da própria organização.
Viabilidade estratégica
Na viabilidade estratégica observa-se se o projeto atende aos requisitos estratégicos, tais como:
• adequação ou contribuição aos objetivos estratégicos traçados no planejamento estratégico da organização, se o projeto for corporativo;
• adequação ou contribuição aos objetivos estratégicos da área ou unidade de negócio, se o projeto for tático ou operacional;
• adequação ou contribuição aos objetivos pessoais de médio e longo prazo, quando o projeto é pessoal.
Viabilidade econômica-financeira
Na viabilidade econômica-financeira observa-se se o projeto atende aos requisitos econômico e financeiros, tais como:
• existência de fontes de financiamento disponíveis e acessíveis no mercado, para assegurar os recursos financeiros necessários para a realização do projeto.
• disponibilidade de recursos financeiros suficientes para realizar o projeto e manter o produto/serviço do projeto operando.
• o fluxo de desembolso do projeto é factível.
• o retorno esperado com o produto/serviço do projeto é adequado ao investimento realizado no projeto.
 
=> A análise de viabilidade econômica se divide em duas partes:
  • na primeira, formulamos, a nós mesmos, uma série de perguntas sobre o empreendimento que queremos montar. O que precisamos é saber escolher bem as perguntas. E, depois, buscar as suas respostas. Este procedimento nos força a conferir e, se for o caso, aperfeiçoar o nosso conhecimento sobre a atividade que queremos realizar. E esse conhecimento é mais importante do que fazer contas complicadas.
  • num segundo momento, faremos cálculos utilizando as respostas das perguntas que formulamos anteriormente. Ou seja, vamos ordenar e interpretar os números que encontramos na primeira parte utilizando de metodologias tradicionais como Payback, NPV, NPVaj, TIRR, TIRRaj, Best Moment to Invest, utilizando como inputs Investimentos, Depreciação, Custos, Receitas, Ponto de Equilíbrio - Break-Even-Point,  Payback Descontado e afins.